“O Festival Nacional da Canção é plural”, afirma músico

Robetho Azis se apresentou no Fesrtival Nacional da Canção com Tavinho Limma, com a música “Breu Vazio”. Ele escreveu sobre o Festival Nacional e a sensação de dever cumprido após participar do maior festival de música do Brasil. Acompanhe:

 

 

Sobre o 48° Fenac – Festival Nacional da Canção
Voltando de Boa Esperança com o sentimento de dever cumprido.
Ficar entre as 10 canções de um total de 2000 inscrições, 120 canções selecionadas, 24 semifinalistas e 10 na grande final é motivo de alegria. Lógico que gostaria de estar entre os cinco grandes prêmios, condições tinhamos, sem falsa modéstia, para tal. Nessa hora a difícil escolha ficou a critério do corpo de jurados e do público que também participou na escolha das canções. “Breu Vazio” de minha autoria e de Tavinho Limma foi muito bem apresentada, muito aplaudida e até uns “Bravoooo!” recebemos rsrs.. uma diversidade de ritmos, estilos e tendências desfilaram no palco da grande final. Fica meu agradecimento especial aos talentosos musicos Wander ScalioniThiaguinho Sanfoneiro que fizeram Breu vazio ficar entre as top 10 da noite.
Fenac Fest Nac Cancao é um festival plural.
Um destaque para o Festival Nacional da cultura. A Facmol Orquestra de sopro de Pereira Barreto e Ilha Solteira me emocionou profundamente ao ver o poder de transformação da música na vida desses jovens, principalmente por saber da sua história de resgate da autoestima de adolescentes e adultos. Belíssima apresentação que levantou o público. A Ópera tbm esteve presente com clássicos conhecidos além de peças do cancioneiro popular. Parabenizo Marly TisoMatheus Tiso, o cantor argentino e toda a produção do Festival. Foi Um final de semana Onde a cultura “ventou” em Boa Esperança. Abraços Cristina Marques, e toda equipe do FENAC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.